sem título

esta tendência senil em caber em rotas poucas

bloqueia-me o ser e deixo de escrever.

(sem escrever o que sou?)

os dias não me são nada se forem apenas dias

os corpos não me são nada se forem apenas corpos

a vida não me é nada se for apenas vida, vivida

vivamente morta

porque a vida é também a morte

a vida é também o pensamento absoluto do que não existe

a vida é o que não existe

o que não se vê, apalpa, tem,

a vida é para além disso

e é isso tudo.

~ep~

out 19

a herdade

vento. o som do vento nas folhas das árvores.

água. o som da água.

sobreiro. o som do silêncio, dos silêncios, dos olhares.

cavalo. o som do trote .

alentejo. o som amarelado da planície.

portugal. a estridência da ditadura e da revolução.

zeca afonso. como se se ouvisse Grândola pela primeira vez, esse arrepio.

dor.

tensão.

família.

fim.

(absolutamente brilhante)